suivre par email

8 de abr de 2008

ATA-ME


Ata-me
Thiers R >


Um mistério
uma cor
um toque
uma flor
aberto abandono perfuma rosas
em língua bordada
penumbra sala
em botão exala
cheiro doce
desata
ata
ata-me
temeroso sorriso
abre-me dedos
o poema -
dans la bouche
engole palavras
de
sin
te
grado suspiro.


>>>>>

4 comentários:

Max da Fonseca disse...

Sufocante.

Juliana T.P. POE disse...

OLá caríssimo sr. Thiers, pois é apesar de sermos companheiros de blog, àtu longa data nunca conversamos antes.
vim visitar seus aposentos reais, gostaria de dizer-lhe que gostei dos tons, azuis e traços de loucura aqui encontrados...
voltarei com frequência se o senhor assim o quiser :)
abraços
juliana t.p

apropósito o sr. já particpa da estalagem do escritor?
se ainda não gostaria de dar-nos honra de sua presença?

Prosa em poesia, poesia em prosa disse...

POETA

num sei se admiro mais a foto ou seu poema...

muito bom.. as imagens são fortes e os versos bem construidos... adorei... o blog, o seu, é bem feito e cheio de boas palavras...

fé e luz...

força na pena... luz no poema!

Flávio Mello

eduardo disse...

magnific!!!