suivre par email

29 de fev de 2008

SOB CONCERTOS ( Menuet )



SOB CONCERTOS( Menuet)
Thiers R>

vem nu orvalho
deita luz
errônea du
mes doigts
adormece
tira roupa
cobre-te de mim
vem
vestida de pele
pulsa
linhas amarelas
como sol que aquece
saliva marinha
abraça olhar
orvalhado
suave
toque do
Brandenburg in Concert

2008>


>>>

28 de fev de 2008

> " GATA NO CIO " <



"Gata no cio"
Thiers R> & Angela Oiticica

Mesmo que saiba
evoluir e cuspir
caio na cilada
quando anuncia
a madrugada
Cheguei em casa...
seriam amantes gemendo na escada?
luz apagada
traços
sombras
romântico era o luar
o perfume dela
a me apalpar
quase fez-me gozar
molhado
rasguei a roupa
De repente
o toque na porta...
veio sorrateira
deslizando
como serpente
enlaçou-me pernas
cintura
Na boca
o hálito quente
O perfume?
quase a sufocar
os olhos a orgasmar
era de enlouquecer
deixei-me prender
me perder
caí na cilada
extasiado
permiti
que me mordesse
penetrei-lhe com volúpia
deixando o prazer germinar
até a noite
se
findar

>2008<

>>>

27 de fev de 2008

MATISSE & O CARAMUJO


Matisse & o Caramujo
Thiers R>&Michèle Sato

doce, sensível, curioso
lambe azuis,
vermelhos e amarelos
arco-íris de palavras
fragrância de memórias
discerne in cheiros
eriça pêlos
Talvez dum amor
que os arrepiou
pousa
in tensa-sua-vida-de
trêmulos dedos
mergulh’Ar Dores
borbulham nomes
color-indo-cubos
jorra flauta
sedutora
memória
desconcertante
erótica, gosmica
calça dedos
inscreve amor
corpo louco
deita cama
do pintor

>Setembro2007<

>>>

24 de fev de 2008

ART & Manhas



ART& Manhas
Thiers R> & Carol

crave-me in dedos
dentro e fora
cavalgue a hora
desatina,
crispa
ondula...
Antes e depois
devasso o tempo
não rotulo
olhar ruborizado
en canto
enquanto
pele plena pulsa
veia morna convulsa
lateja, deseja
rasteira a corda
respinga sabor d’amora
na mesma hora
embate de corpos
hálito gotejante
prenho implora
boca colada
pele tocada
argola molhada
mais nada...
cama,
vontade insana
Art & manha
incendeia
arde a manhã
na teia do olhar

Setembro2007>>

>

20 de fev de 2008

DISFARÇANDO CINISMO NA SESSÃO DA TARDE


CLIC NO LINK PRA ASSISTIR


Disfarçando cinismo na sessão da tarde
Thiers R>


Bêbada de silêncio
vem como fermento revoltado
logo eu, assassino de palavras
logo eu, solto no palco
desabotoa o perfume cítrico
mostra
deixa que apalpe
lírio de rosa pálida
Mordo-os sacana!
puro enigma
e eu
que gosto desses filmes
sessão da tarde
centro da cidade
mãos no bolso
disfarçando cinismo
chega
baila flamenco
sapateia em meu colo...
O que queres ouvir?
O policial passa na rua
assovio fingindo desleixo
meu olhar penetra
atmosfera lúdica e molhada.
Era fim de tarde a sessão acabara
no bar deixei o cigarro esquecido
rompido em cinzas
apenas pra te falar.

2008>
>>>

19 de fev de 2008

ACIDEZ IMPURA



Acidez impura
Thiers R>


Ácida queima garganta
impura destila
corre a veia
fermenta o fel
amargo, corrói e borbulha
porra!
ácido veneno
arranca
arranha e risca
rosas e margaridas
penetra fuligem na alma
contamina
fulmina
intranqüila ferve a rua
atira, mata!
rosa minha rosa
arrancada do jardim
choram-me os dedos
espinho saqueado da alma

Dezembro 2007>>


>>>

10 de fev de 2008

>Tádzio in Venezia <


Tádzio in Venezia
ThiersR>&Ivy Gomide


Ajustando letra
descontraindo mãos
cuspindo dores
duelando amores
palavras explicam sem dizer...
evaporadas no suor
sua visado
voz rouca da multidão
entorpecido hálito
atravessa têmpora
escorre desejo.
Existo nessa loucura onde
ouvido desesperado
penetra in sinfonia
Mahler dorme nos dedos
com passo trêmulo
paixão visceral
amor
bilateral
biópsia de lábios
ar dente
in conveniente
olhar

>2008
>>>

7 de fev de 2008

Ode à Literatura




ODE À LITERATURA

ThiersR>



Depois de deixar minha pele estendida na avenida

depois de seduzir o amor

em diversas cores

depois de parir desejos

de possuir prazeres

estou de volta fielmente

a esta mulher irresistível

- Literatura -

Amo-te nas esquinas,

nas ruas,

nas noites sem lua,

nos sonhos..

Amo-te

em nossos lençóis amarrotados

de noites insones.




Nas cinzas de um Carnaval/2008


>>>



4 de fev de 2008

Ya Basta !



Ya Basta!
ThiersR>


Ya Basta!
Yo lo digo
Yo afirmo
A terra é do povo
chão de raízes
perfume da fome
Terra
espaço do corpo
estrela castanha
palpita em mi dedo
ruge em meu coração
jorra vermelho
rio de sangue
veia dos braços
alimento da alma
Zapata in Chiapas
abre estrelas no céu.

Fev/2008>


_____________________________________________________