suivre par email

12 de fev de 2009

MIKONOS



MIKONOS
Thiers R >


Cálido, quase luva
meia pluma
sem sis mos
naufragam dedos para disíacos
afundam pés
marcam pas SOS
ilha branca
és tu quem me tomas
consome a gota do sal
veste-me os braços
nos largos passos que bailam
íris esquizo-pecaminosa
abençoada por deuses
onde esguio penetra o mar
batalha sensual
Mikonos
no mergulho de teus olhos
passei’a boca de beijos
ociosa lágrima mergulha in poemas
sin tonia azul escreve
ir reverência
lambe nau frágios
a’casa’ lam línguas



>>>

Um comentário:

Caio Tadeu de Moraes disse...

Guia básico de sobrevivência em ilhas remotas, agora escrito em versos de poeta famoso para conseguir atrair melhor o publico suicida em geral.