suivre par email

15 de fev de 2009

__ Pálida voz dos sonhos__




Pálida voz dos sonhos
Thiers R > & Ivy Gomide


Pálida voz

traduz

redigida em

mio cuore

trazida pelo vento

letárgico

som q’inebria



sou um sonhador

mas não sou o único



Imagine

a perfeição dos instantes

jardins germinando

sem guerras

ou sangue



You may say I'm a dreamer,

but Im not the only one



deus é conceito

io amor

o sonho não acabou

poeta, sarjeta,

lua ou estrela

plantada na bala

dum chão red

que sobrou

vivo dreams

manchados

desejos encapsulados

poeira d’estação

que não estacionou

creiam-me

the dream

não se forjou



>>>

3 comentários:

Caio Tadeu de Moraes disse...

Agora Thiers nos brinda com um estrangeirismo enigmático fortemente entrincheirado nas raízes mentais humanas. Mudar o idioma é truque sujo; kkkkk ~~~ tem até árabe aew (rs, brincadeira);


Perdão o comentário vadio, mas estou acabada graças à insônia da última noite;

p.s.: sua amiguinha tem talento!


Até o próximo...

Marcos disse...

"mais não sou o único" - "mas", Thier.

O sonho não acabou, foi assassinado a tiros no Central Park.

Joe_Brazuca disse...



The dream is not over !

il cuore che bisogna dei sogni,non morranno mai piu !

(...ele foi assassinado pela CIA, by the way...Incomodava a "L'extrême droit", capice ?...)

abbracci tanti...
Joe