suivre par email

27 de dez de 2007

Com Versa Erótica



Com Versa Erótica
ThiersR>


Manoel, como ia dizendo:
fareja a cobra no rio em busca
da uva erótica dissolvida na boca
Não vejo como aparelho inútil
uma cobra é uma cobra!
Não as velhas cobras a tagarelar esquinas
destilando assuntos apodrecidos do tempo.
Minha cobra é sensual
corre águas lambendo lesmas...
cobra danada
Incolorida fica na beira encobreada
estirando língua fálica
ela é namoradeira.
até pinta boca vermelha mordendo uvas vorazes.
gosta dos jacintos, aspira perfumes,
rebola arreganhada.
Eu disse: Ela é danada!
agora se bronzeia na beira da pedra
com chapéu a boca
diz ter medo de terremoto do céu...
veja bem: as cobras tem medo da monóxidade
da camada de CFC’s
que matam a ver-de-mata.

2007>
Com Versa Erótica
Pra Manoel de Barros

Um comentário:

Raiblue disse...

Adorei sua com versa erótica com o Manoel!Sou apaixonada por ele...já li todas as 'infâncias' dele...rs...um delírio do belo!!!
Incrível,Theirs,vc digeriu bem a linguagem do Manoel...ficou parecendo um texto dele...chamo isso de alquimia....qnd as almas se misturam e parecem ser uma...nem q seja por segundos de puro devaneio...
Super parabéns!!!Amei a prosa manoelana...rs

Grande beijo azul...
Rai