suivre par email

9 de mar de 2008

NOITE ESPECÍFICA


NOITE ESPECÍFICA
Thiers R>


Peluda
a noite prometia
quando meus olhos
cerraram nuvens macias
de azul inespecífico
( o que não se explica é sempre agradável..)
Fechei comportas desmaiando sons
no silêncio devastador
Eu, a cama, o silêncio e meus segredos
adormecemos lendo
a Midsummer Night's Dream
cadenciando a trama
Shakespeare pensava –> Divino!
- Esses meninos de 2008
encantam-me!
Sonhava sem algemas
quando a dor da existência algoz
se fez presente
murro no peito
batalha na guerra
o tiro quebrando vidraça
desmancha o cristal
assusta o poeta
perfura o livro
as páginas de amor
mergulham na poça sangrenta
acordo
em pranto
o cotidiano chegou.



>>>

Um comentário:

Raiblue disse...

Dormiu shakespeareana mente...e acordou pela realidade schopenhauereana...hehe...mas vc pode descobrir alguma saída thierseana p resolver o conflito dessa íntima trama da sua alma...
Gosto muito dos eu jeitod e misturar
o ácido c o sangue e c o hálito puro
de uma manhã azull..sua acidez corrosiva c essência de rosas...hehe
Adorei sua noite específica...e concordo...o inexplicável é fascinante!
Grande beijo perfumado de azul...de uma manhã inespecífica...
Rai